armário sem portas

Armário sem Portas é um livro a um só tempo particular e universal. Particular por escancarar a vida das autoras, as homossexuais Karla Lima e Pya Pêra, e universal pelo que contém de humor e sensibilidade.

Em seu livro de estréia, o casal passa longe da auto-ajuda e dos romances trágicos, estilos abundantes no mercado editorial GLS brasileiro. Embora alguns capítulos abordem temas mais engajados, como visibilidade, política e preconceito, o foco desta autobiografia é a comicidade.

Crônicas curtas e leves despertam o riso fácil em leitores de qualquer orientação sexual, graças às diferenças que Karla e Pya têm de história de vida, gostos e temperamento: enquanto uma descende de alemães, teve um marido, mede mais de 1,70 m e faz o estilo intelectualizado, sem nenhum pendor esportivo, a outra é japonesinha, gay desde bebê, uma ex-atleta que adora samba e escolhe o celular conforme a capacidade da agenda de telefones!

Despretensioso e concebido originalmente para divertir as próprias autoras, Armário sem Portas provoca reflexão sem agredir o mundo e simpatia sem vitimizar os homossexuais. Uma obra irreverente e ágil, indicada não apenas para a comunidade GLS, mas para todos que apreciam dar boas risadas com um delicioso livro de lavabo.

Grátis!

baixar em PDF

conheça a opinião de quem já leu

Encontrei este livro na biblioteca da cidade onde eu moro. O livro é um mistério à primeira vista. Logo, descobrimos do que se trata e o quanto é divertido. A minha curiosidade é: Karla e Patrícia, casaram-se oficialmente? Gostei do último capítulo que fala sobre tolerância, a palavra é essa! Parabéns pela ousadia! O livro é mais uma prova de que existem e é possível homossexuais construírem relações saudáveis SIM!! Beijos.

Enviada por: Roberto Terra

Olá Pya e Karla! Cheguei a obra de vocês através da indicação de uma amiga. Ela me indicou o site para download, mas como prefiro leituras de papel... foi feliz a decisão pela encomenda do livro. Compulsiva por livros aproveitei aquela promoção de 4 por 70 reais, me dei bem rsrs... Chegaram na quinta, e nesta mesma noite devorei um terço do Armário1, ontem a tarde terminei. Queria dizer que alegria foi ler a vida de vocês. Como a narrativa cotidiana de vocês possibilita a compreensão de que a vontade de compartilha existência supera as micros diferenças... micros diferenças que em certos relacionamentos pareceriam verdadeiros abismos. Como o AMOR transforma a diferença em riso (e em irritabilidade tb, afinal, ninguém é de ferro) e, como o AMOR tem o poder de modelar o que poderia ser interpretado em trágico como cômico, num livro tão gostoso que me fez soltar várias gargalhadas durante a leitura, o que certamente, chamou a atenção de todos que estavam a minha volta e se desdobram de curiosidade para saber o que se passava entre as páginas... Foi bom vasculhar as gavetas de vocês e ver como criaram estratégicas para organizar os cabides, perceber como cuidaram de cada acessório que por "menor" que fossem eram fundamentais para compreensão da complexidade da vida e dos desafios que enfrentaram para fazer dela, um encontro com a FELICIDADE. Obrigada pela história! Gostaria muito de pedir que o Armário vire uma peça teatral e que ela não deixe de fazer uma turnê aqui pelas cidades do Rio. OBS.: Peço desculpas a ambas se me alonguei. Para Karla peço desculpas pelas questões da ortografia - pontuação, etc, a Pya uma abraço desta fã dislexica Beijos para vocês e para Fátima!

Enviada por: Heloisa

Voces duas estão de Parabénsssss já virei Fã!!!!!!!!Bjssss Grazi do 21 Mônaco kkkkkkkkkkk

Enviada por: Graziella sodré

Leitura adorável, leve! Um tema que, apesar de muito em voga, ainda poderia provocar certa repulsa em preconceituosos de plantão. Mas, pela forma como foi abordado por vcs, com esse humor macio e eloquente, acredito que a probabilidade de repulsar os aversos seja pequena. Pelo contrário, héteros inteligentes deveriam saborear essa estória não só pelo prazer de acrescentar o novo e pelo contato com o oposto, mas também como forma de repensar muitos aspectos de seus relacionamentos atuais! Em vários momentos da obra me flagrei nessa auto análise! Rs E posso dizer que ler esse livro foi, principalmente, uma forma de relembrar e confirmar a memória da Karla com k que conheci lá atrás, sem tirar nem pôr! Sempre muito franca, pensante, questionadora,impaciente, sem meias palavras. Essa era vc da época do colégio e de agora, do livro na cabeceira. Para finalizar e eu dormir, fiquei muito orgulhosa! É, orguhosa por poder rever vc de nossa amizade no passado e ver que vc agora é uma escritora de mão cheia! E adorei saber que vc continua impaciente, pensadora, questionadora, muito franca e, principalmente, feliz com as suas escolhas!!!

Enviada por: Patricia Gonçalves

Olá, Pya e Karla! Finalizei ontem a leitura de "Armário sem portas" e vim aqui parabenizá-las pelo livro. Amei! Dei muitas risadas com as histórias de vocês. Textos inteligentes, divertidos e com gostinho de "quero mais". Sem sombra de dúvidas, foi um dos melhores que li nos últimos tempos. Grande beijo.

Enviada por: Vanessa

Oi, queria partilhar uma coisa com vcs. Sempre vivi na obscuridade, sempre me escondi do mundo, mas depois que li armário sem portas me senti libertada. Pq vcs contam a história de vcs com tamanha naturalidade que o homossexualismo passa a ser um detalhe. Depois q li o livro eu percebi que enquanto eu não encarar com naturalidade ninguém fará isso. E que se alguém não entende, o problema não é meu, é do outro e não cabe a mim resolver, desde que eu esteja bem comigo mesma. Meus sentimentos mudaram, minha atitude mudou e minha cabeça agora é outra. O livro de vcs funcionou como uma terapia pra mim. Muito, muito obrigada por isso.

Enviada por: (anônimo)

deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

conheça também: ziguezagueando pelo islã

Books