blog

sobre o autoengano

categoria: pequenas fornadas

Eu achava que o objetivo de mentir para alguém era enganar esse alguém. Hoje aprendi que mentir para o outro faz parte de enganar a si mesmo, mas não acho que o autoengano seja possível, então fiquei confusa. Pode ser que eu me confunda com facilidade.

“Aparentar” é o verbo que põe o julgamento que o outro faz de você acima de sua opinião sobre você mesmo. Acho esquisito colocar a avaliação alheia acima da própria verdade – significa atribuir ao externo mais importância do que a si mesmo. Pode ser que eu me tenha injustificadamente em alta conta.

“Ser” é o verbo que põe seus valores acima do juízo alheio. Para si mesmo você não aparenta, você é. Pode pintar o cabelo, fazer plástica para aparentar menos dez ou menos 20, mas continua sabendo que idade tem. Enganar-se é uma impossibilidade lógica.

Na Folha de hoje, soube que dá para comprar aprovação no Facebook: cem curtidas por R$ 50 e mil curtidas por R$ 400. No twitter, arrobas seguidoras estão à venda por preços unitários que variam de R$ 0,0006 a R$ 0,31. “Aonde a vaca vai, os bois vão atrás”, dizia a babá da minha irmã.

Os mais baratos são robôs, programinhas que só publicam spam, não interagem, “só servem para engordar o número de seguidores”. Não entendo o valor de ser seguido por uma manada fantasma. Não entendo como “engordar o número de seguidores” combina com “servem”. Algo que não existe “serve” para alguma coisa? Para qual coisa?

As arrobas mais caras representam gente de verdade, mas a falta de valor é a mesma: quem contrata o serviço passa a ser seguido, na hora, por 20 perfis. Em troca, é preciso seguir de volta não apenas aqueles 20, mas também outros clientes que compraram pacotes de seguidores.

Quem engana quem? E, mais importante: para quê?! Você sabe quando publica uma coisa bacana, que gera polegares para cima e comentários humanos; você sabe quão interessantes são seus posts no microblog; você sabe quantos anos tem, quantos amigos tem. Ou não sabe mais?

 

comentários

gente, sou ignorante mesmo, eu nem sabia que isso era possível: "comprar" seguidores ou aprovação nessas redes sociais. Quando a gente pensa que já viu de tudo em matéria de idéias estúpidas e sem sentido aprende mais uma, aff!

Enviada por: Silvia Dutra

Carla: nunca soube que o orkut também vendia pessoas, lembranças, histórias de vida. Hoje é um dia de grandes aprendizados...

Enviada por: litros

Flávia: ser um bom chá de maçã já estava tão bom, não é? Por que será que o fabricante acha que precisa incluir promessas ao sabor!

Enviada por: litros

O zumbi orkut também vendia coisas interessantes, como perfirs com quase mil amigos, albuns de fotos, comunidades lotadas. Eu acho que existem tipos diferentes de insanidade neste meio. Há os fakes de boa fé e má impressão sobre si, mas há os de péssimas intenções que usam estes meios só para enganar.

Enviada por: Carla

Me pergunto se uma das bases da nossa sociedade não seja a enganação...acabei de comprar um chá de maçã, que não contente em ser apenas um chá de maçã, vem com mil promessas de felicidade no rótulo...!

Enviada por: Flávia

deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Books