blog

dislexia

categoria: quem viveu viu

Quem leu o capítulo “Explicação, conclusão, resultado e apêndice” do Armário sem Portas sabe que a Pya sofre de dislexia. Como não consegue pronunciar várias palavras, foge delas como gato corre de banho. Para não passar por “inguinorante” no açougue, em vez de dizer “um quilo de largarto”, pede “um quilo daquela carne de boi que fica entre a chã-de-dentro e a chã-de-fora, ótima pra assar”. Com os sobrinhos, tem duas opções: sugerir brincarem com “aquelas bolinhas pequenininhas, coloridinhas, lisinhas, de vidro” ou resumir: “Quem quer jogar bola de gule?”.

Daí nós estávamos trabalhando neste site e chegou a hora de nomear as categorias dos posts. O que se refere ao próximo AsP 2 seria chamado de “Quem viver verá”. Portanto, o mais lógico seria chamar de “Quem viveu viu” tudo que se relacionasse ao primeiro livro. Mas esses tempos verbais malvados atrapalharam minha amada. Acompanhem o esforço mental dela e a minha paciência:

“Quem viverá, viu”?

Não, Vida, quem ainda vai viver não pode já ter visto.

“Então: Quem viveu, verá”?

Também não, quem viveu não pode ver mais nada.

“Ah, é que eu me confundi, Bichão. Quem vive, viveu”?

Bom, Vidinha, quem vive hoje até pode já ter vivido ontem, mas isso não tem nada a ver…

“Não? Por quê? Tá, depois você me explica. E se ficar: Quem vier, viverá?”

Como assim, “Quem vier?”

“Não é vier? Então: Quem for?”

Patricia!

(Crédito da imagem: Rui Werneck de Capistrano)

comentários

mijo muito de rir com essa minha amiga patrícia...

Enviada por: SM

deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Books